Com base nos resultados acima das expectativas, especialmente em agosto, a associação dos fabricantes de veículos, a Anfavea, elevou a projeção de vendas domésticas este ano. A entidade estima que serão emplacados no País em 2017 o total de 2,2 milhões de automóveis, utilitários, caminhões e ônibus, o que significará alta de 7,3% sobre os 2,05 milhões de 2016 – a previsão anterior, até julho, era de avanço mais tímido, de 4%, para 2,13 milhões. Para a Anfavea, a expansão será puxada pelos veículos leves, com elevação de 7,4%, porcentual perto de duas vezes maior que o esperado antes, para 2,13 milhões de unidades. Já para os modelos comerciais pesados a entidade cortou quase que pela metade sua estimativa de crescimento, de 6,4% para 3,6%, esperando 64 mil emplacamentos no ano inteiro – antes esperava por 65,6 mil.

-Veja os dados completos da apresentação da Anfavea aqui
-Veja mais dados da indústria aqui
-Veja outros estudos e estatísticas em AB Inteligência

“Tivemos boas notícias, que nos trazem mais otimismo”, justificou Antonio Megale, presidente da Anfavea. Agosto foi o melhor mês de vendas desde dezembro de 2015, com pouco mais de 216 mil emplacamentos e crescimento de 17,2% ante julho e de 17,8% em relação a agosto do ano passado. Com este resultado, os licenciamentos de veículos novos somados de oito meses, 1,42 milhão, resultam em expansão de 5,3% diante do mesmo intervalo de 2016.

Com o bom fluxo, os estoques voltaram para níveis considerados “ideais”. O volume de veículos à espera de compradores nos pátios das montadoras e concessionárias subiu levemente de 217,7 mil unidades em julho para 220,5 mil no fim do mês passado, mas como em agosto a demanda foi maior esse estoque era suficiente para o equivalente a 31 dias de vendas, contra 35 dias um mês antes.

INDICADORES DE ALTA

Megale reconheceu que agosto teve maior número de dias úteis (23) e que por isso será mais difícil alcançar o mesmo resultado nos meses seguintes até o fim do ano, todos com feriados prolongados. Contudo, o dirigente assinalou que a média diária de vendas também está em crescimento: foram 9.415 veículos emplacados por dia útil em agosto, a maior média do ano, à frente dos 9.284 registrados em junho. “É importante registrar que não tivemos média diária de emplacamentos acima de 9 mil em nenhum mês de 2016; este ano isso já aconteceu duas vezes”, ressalta.

Outro dado positivo destacado por Megale é que a virada para o campo positivo está acontecendo agora na maior parte do País. Segundo dados compilados pela Anfavea, de janeiro a março deste ano apenas três estados no Brasil (Alagoas, Minas Gerais e Roraima) registraram crescimento na média diária acumulada de emplacamentos naqueles três meses em comparação com o mesmo período do ano anterior. Agora, de janeiro a agosto, 22 dos 27 estados brasileiros anotaram alta nessa média de oito meses – somente Bahia, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Paraná e Rondônia seguiram no vermelho.

O presidente da Anfavea também apontou o volume de concessões de crédito ainda baixo como possível fator de expansão do mercado. Segundo ele, apenas 51% a 52% dos veículos vendidos atualmente são financiados. “Está abaixo do porcentual normal, mas é preciso lembrar que a inadimplência está caindo e a baixa da taxa Selic ainda não chegou totalmente nos juros. A combinação de inadimplência e juros em queda reduz os riscos e deve deixar os bancos mais dispostos a emprestar, o que ajudará a aumentar as vendas”, avalia.

“Esses indicadores mostram que o setor está se fortalecendo e voltando a crescer, por isso refizemos para cima as projeções”, disse Megale. “O crescimento esperado de 7,3% para o mercado interno este ano ainda é pequeno, mas torna-se expressivo após três anos seguidos de quedas”, pontuou.

Assista abaixo reportagem exclusiva da ABTV sobre a revisão das projeções da Anfavea e os resultados da indústria de janeiro a agosto deste ano

Clique aqui

Fonte: Automotive Business

Escreva um comentário

endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *